quinta-feira

Mãos Dadas


Drummond de Andrade

Não serei o poeta de um mundo caduco.
Também não cantarei o mundo futuro.
Estou preso à vida e olho meus companheiros
Estão taciturnos mas nutrem grandes esperanças.
Entre eles, considere a enorme realidade.
O presente é tão grande, não nos afastemos.
Não nos afastemos muito, vamos de mãos dadas.
Não serei o cantor de uma mulher, de uma história.
não direi suspiros ao anoitecer, a paisagem vista na janela.
não distribuirei entorpecentes ou cartas de suicida.
não fugirei para ilhas nem serei raptado por serafins.
O tempo é a minha matéria, o tempo presente, os homens presentes, a vida presente.

5 comentários:

Miolo-de-Pote disse...

Agradecemos a visita no Miolo.
Helena de Tróia

+ Kazzx + disse...

Cara Maria:

Vim atualizar as visitas e deixar um bom domingo para você

Bjs

Weberth Mota disse...

Maria,

Ótimo e eterno Drummond!

"li seu comentário em minha coluna 'Hein!?' no Miolo-de-pote sobre alguns aspectos da cultura ou falta dela no sistema municipal brasileiro. Você falou sobre a credibilidade das ONG's, achei ótima a sua observação. lembrei-me de um trabalho voluntário que fui fazer em uma ONG e com tanto engajamento acabei vendo e descobrindo o verdadeiro processo da mesma; lavagem de dinheiro e péssima administração dos recursos "doados". Uma desilusão muito triste. Concordo... Razão para você.

Abraço!
Weberth Mota

Serjão disse...

Passei para dar um abraço e desejar um bom final de semana. Abraços

Santa disse...

Maria
Interrompi a fisioterapia para publicar o post em solidariedade ao jornalista Reinaldo Azevedo. Agradeço as palavras de carinho no blog. Se é que é possível,- tenha um bom domingo. Beijos.